terça-feira, 23 de novembro de 2010

Lenda da Fonte da Moura

    Numa herdade onde eu vivi com os meus pais, chamada “Cacharroeira” havia uma fonte onde diziam que noutros tempos habitava uma moura encantada.
     Certo dia, ao passar junto da fonte, um caçador viu sentada numa pedra uma linda mulher a pentear-se.
     Logo que esta deu pelo caçador desapareceu imediatamente em direcção à fonte, ouvindo ele só o rastejar de umas correntes de ferro.
     Espreitando para dentro da fonte apenas viu uma enorme serpente da qual conta a lenda ser a dita moura encantada.
     Como diziam que quem matasse a serpente desencantava a moura e casaria com a princesa...
     Alguns homens cavaram na fonte para a conseguirem matar, o que não sucedeu. E ali ficou um poço que ainda hoje é chamado o Poço da Moura.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

sábado, 13 de novembro de 2010

quinta-feira, 11 de novembro de 2010


-Se o Inverno não erra o caminho, tê-lo-ei pelo S. Martinho.

magusto - mesa de castanhas


domingo, 7 de novembro de 2010

Oh que janela tão alta


Oh que janela tão alta
feita de cal e areia
oh que menina tão linda
numa janela tão feia

Janela de pau de pinho
que a meu respeito te abriste
torna-te a cerrar janela
disfarça que me não viste

Além naquela janela
eu a fiz eu a risquei
a menina que lá mora
só por morte deixarei
 
A. Guimarães (Arranjos: Pedro Caldeira Cabral)
Letra e música: popular; Intérprete: Vitorino;

segunda-feira, 1 de novembro de 2010