domingo, 7 de novembro de 2010

Oh que janela tão alta


Oh que janela tão alta
feita de cal e areia
oh que menina tão linda
numa janela tão feia

Janela de pau de pinho
que a meu respeito te abriste
torna-te a cerrar janela
disfarça que me não viste

Além naquela janela
eu a fiz eu a risquei
a menina que lá mora
só por morte deixarei
 
A. Guimarães (Arranjos: Pedro Caldeira Cabral)
Letra e música: popular; Intérprete: Vitorino;

Sem comentários:

Enviar um comentário