sábado, 23 de março de 2013

Fialho de Almeida - 'A princesinha das rosas'




(...)
Captiva por aquella phantasmagoria do lago, 
a princesa desceu á praia uma noite ... o luar vinha
nascendo... — diz que uma barca atracara 
ás escadarias dos cães, negra barca de mudos barqueiros,
anões com hombros de titans, cujos olhos phosphorejavam
por baixo de chapéus feitos de grandes cogumellos.

Mas a princesa, a princesa? 

Diz que pelas velhas estradas trotam mensageiros
anciosos, creanças n'aquelle tempo, hoje velhos de 
mil annos, que vâo perguntando aos viandantes se a 
viram passar alli. Quanta maior certeza elles teem 
de não achar quem procuram, tanto mais frenéticos 
precipitam os voos seus cavallos esqueletos. 
(...)
 
Livro AQUI


Sem comentários:

Enviar um comentário