domingo, 24 de fevereiro de 2013

Soeiro Pereira Gomes

Esteiros. Minúsculos canais, como dedos de mão espalmada, abertos na margem do Tejo. Dedos das mãos avaras dos telhais que roubam nateiro às águas e vigores à malta. Mãos de lama que só o rio afaga.

Soeiro Pereira Gomes, Esteiros, Publicações Europa-América, p. 9

AQUI

Sem comentários:

Enviar um comentário