terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Aspectos do ex-voto pictórico português




CARLOS NOGUEIRA
CENTRO DE TRADIÇÕES POPULARES PORTUGUESAS
“PROF. MANUEL VIEGAS GUERREIRO” / UNIVERSIDADE DE LISBOA

Resumo
O ex-voto, como objecto, que, colocado em ermidas, igrejas, capelas, etc., se oferece a Deus, à Virgem Maria  ou  a  um  santo,  em  cumprimento  de  um  voto  (do  latim  ex  voto,  “segundo promessa”), tem, em Portugal, uma das expressões mais quantiosas e ricas nas tábuas, painéis, quadros ou retábulos votivos, a que se atribui ainda a designação de “milagres” (por empréstimo sinedóquico da fórmula de abertura de grande parte destes artefactos, a qual, de resto, de todas aquela que certamente não é apenas do uso de especialistas, reenvia imediatamente para a práxis religiosa que se celebra e para o conteúdo diegético humano-religioso que ali se concentra). As narrativas pictóricas neles plasmadas, alusivas, na sua maioria, a moribundos e a naufrágios, a par  das inscrições  que  os  acompanham  e  prolongam,  consubstanciam  uma fenomenologia  do corpo  e  da  alma  que  importa  conhecer,  para  o  que  é  necessário  convocar conhecimentos interdisciplinares  (da  semiologia,  da  estética,  da  literatura,  da  linguística,  da  etnologia, da sociologia, da religião...).

DAQUI

Sem comentários:

Enviar um comentário