quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

“Capeia Arraiana” - Sabugal

A “Capeia Arraiana” constitui, desde 4 de Novembro de 2011, a primeira manifestação cultural registada no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial. Resultante do pedido de inventariação elaborado pela Câmara Municipal do Sabugal, o registo daquela tradição no Inventário Nacional foi objecto de decisão favorável da Comissão para o Património Cultural Imaterial, no âmbito da sua reunião n.º 04/2011, realizada após o período de consulta pública sobre o processo.



A Capeia Arraiana é uma manifestação tauromáquica específica de algumas povoações do concelho do Sabugal próximas da fronteira com Espanha, que se caracteriza e singulariza das demais formas populares de manifestações tauromáquicas, pelo facto de a lide do touro bravo ser efectuada colectivamente, com o recurso do Forcão.
A Capeia é realizada em Agosto, em associação com a festa patronal de cada comunidade, e, regra geral, tem lugar no largo principal da aldeia, para tal temporariamente vedado. Para além da Capeia propriamente dita, isto é a lide do touro com o Forcão, constituem componentes públicas da prática o Encerro e o Boi da prova, que precedem a Capeia, e o Desencerro, com o qual ela termina.

(...)

Origem / História
A Capeia Arraiana é uma tradição de origem indeterminável apenas com recurso à tradição oral e à memória colectiva das comunidades do concelho, segundo a qual sempre se conheceu a Capeia nas aldeias onde se pratica actualmente e não há memória de não ter sido praticada.

Da pesquisa bibliográfica que se efectuou para a elaboração do presente pedido resultou que a referência mais antiga encontrada foi a de Abel Botelho no livro Mulheres da Beira, que tem incluso o conto “Uma Corrida de Toiros no Sabugal”, escrito em 1886. Nos finais do séc. XIX e princípios do séc. XX, Joaquim Manuel Correia (1893) e J. Leite de Vasconcellos também referem a Capeia, com utilização do Forcão como tradição do concelho do Sabugal.

São variáveis, segundo os diversos autores, as origens que se atribuem à Capeia, remontando para uns a muitos séculos atrás, e para outros, entre os quais Adérito Tavares, apenas à segunda metade do séc. XIX.

Segundo este autor, a prática da Capeia no concelho do Sabugal deve ser entendida no âmbito de afinidades culturais entre a região de Riba-Côa e a região próxima de Castilla y León, fundadas não apenas na proximidade física mas também nos contactos entre as populações, nomeadamente por via do contrabando, e que fomentaram semelhanças no «linguajar, no vestuário e nos costumes. A própria Capeia nasceu desta vizinhança. A palavra vem do castelhano capea e relaciona-se com o acto de capear ou iludir o touro com uma capa.

Sem comentários:

Enviar um comentário