sábado, 28 de novembro de 2009

Rama

Ó rama, ó que linda rama,
Ó rama da oliveira!
O meu par é o mais lindo
Que anda aqui na roda inteira!


Que anda aqui na roda inteira,
Aqui e em qualquer lugar,
Ó rama, que linda rama,
Ó rama do olival!


Eu gosto muito de ouvir
Cantar a quem aprendeu.
Se houvera quem me ensinara,
Quem aprendia era eu!
 

Não m’invejo de quem tem
Parelhas, éguas e montes;
Só m’invejo de quem bebe
A água em todas as fontes.
 

Fui à fonte beber água,
Encontrei um ramo verde;
Quem o perdeu tinha amores, 

Quem o achou tinha sede.
 

Debaixo da oliveira
Não se pode namorar;
A folha é miudinha,
Deixa passar o luar.


Letra e música: popular; Alentejo.

sábado, 21 de novembro de 2009


  (fotografia de Jorge Barros)

Azeitona cordevil,
O rouxinol a namora,
Apanha-a, leva-a no bico,
Bate as asas, vai-se embora.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009


No dia de São Martinho, mata o teu porco ...

fotografia de Jorge Barros


... e prova o teu vinho.

fotografia de Jorge Barros
O primeiro
Bebe-se inteiro,
O segundo até ao fundo,
O terceiro é como o primeiro
E o quarto é como o segundo;
O quinto bebe-se todo,
O sexto do mesmo modo,
O sétimo bebe-se cheio;
E o oitavo duas vezes e meio;
E para isto acabar
Vem o nono para atestar.

A castanha tem uma manha, vai com quem a apanha.




Magusto em Marmelete, Monchique
(fotografias de Jorge Barros)

domingo, 15 de novembro de 2009

Toda a palavra é perdida se de alma não foi ouvida.

Festa das Almas, em Rio de Onor e Babe, Bragança
(fotografia de Jorge Barros)
Há tempo para velar e tempo para descansar...

Culto dos Mortos
(fotografia de Jorge Barros)

sábado, 14 de novembro de 2009


Donaria a Endovellico